TV PENTECOSTES RETRANSMITINDO AO VIVO O ENF 2018
Palavra do Bispo Dom Manoel João Francisco "Os jovens, a fé e o discernimento vocacional"
28/10/2018 08:10 em Novidades

Dia 28, próximo domingo, em Roma, o Papa Francisco vai encerrar a XV Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos que está, desde o último dia 03, refletindo sobre “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

         No mês de outubro, na Igreja católica do Brasil, tradicionalmente se celebra “mês missionário”. No terceiro domingo de outubro, no mundo inteiro, os católicos comemoram o “Dia Mundial das Missões”, oportunidade em que o Papa sempre escreve uma mensagem.

         Na opinião do Papa, a realização do Sínodo no mês de outubro é mais uma oportunidade para que os jovens se tornem discípulos missionários sempre mais apaixonados por Jesus e sua missão até os últimos confins da terra. Nada mais justo. Eles, os jovens são um bilhão e oitocentos milhões de pessoas. Por isso, escolheu como tema de sua mensagem: “Juntamente com os jovens, levemos o Evangelho a todos”.

         O Papa começa dizendo: “Queridos jovens, juntamente convosco desejo refletir sobre a missão que Jesus nos confiou. Apesar de me dirigir a vós, pretendo incluir todos os cristãos, que vivem na Igreja a aventura da sua existência como filhos de Deus. O que me impele a falar a todos, dialogando convosco, é a certeza de que a fé cristã permanece sempre jovem, quando se abre à missão que Cristo nos confia”.

         Referindo-se ao seu primeiro documento “Evangelii Gaudium, também nesta mensagem, o Papa recorda que nós somos uma missão nesta terra, e para isso estamos neste mundo (EG 273). Não podemos frustrar a Deus que nos chamou à vida e à missão. A fé fundamenta esta nossa convicção. Em Cristo e em sua Igreja encontra-se o tesouro que enche a vida de alegria. Para reforçar suas palavras o Papa evoca a própria experiência. “Graças à fé, encontrei o fundamento dos meus sonhos e a força para realizá-los. Vi muitos sofrimentos, muita pobreza desfigurar o rosto de tantos irmãos e irmãs. E todavia, para quem está com Jesus, o mal é um desafio a amar cada vez mais. Muitos homens e mulhe res, muitos jovens entregaram-se generosamente, às vezes até o martírio, por amor do Evangelho ao serviço dos irmãos”.

         Característica constitutiva do trabalho missionário é a alegria. A alegria e o entusiasmo são contagiantes. Foi assim no início da Igreja. Os pagãos se admiravam com a forma de vida dos cristãos, sempre muito fraternos, alegres e vibrantes. Da mesma forma, em nossos dias, o “coração da missão da Igreja, verifica-se através do ‘contágio’ do amor, onde a alegria e o entusiasmo expressam o sentido reencontrado e a plenitude da vida”.

         Aqui no Brasil, a animação missionária do mês de outubro e da celebração do “Dia Mundial das Missões” fica sob a responsabilidade Pontifícias Obras Missionárias, com o apoio da CNBB, através da Comissão Episcopal para Ação Missionária e a Cooperação Inter-eclesial.

         Alinhada à Campanha da Fraternidade que teve como tema a superação da violência, a animação do mês missionário deste ano foi realizado a partir do tema: “Enviados para testemunhar o Evangelho da Paz”, acompanhado do lema: “Vós sois todos irmãos”, inspirado no Evangelho de Mateus (Mt 23,8).

         A Novena Missionária é, com certeza, o subsídio mais utilizado durante todo o mês. Nelas as pessoas rezam em grupos de famílias e refletem sobre as diversas dimensões da ação missionária. Na proposta para este ano, o nono dia, dedicado aos jovens, relata o testemunho de Maria Eduarda, uma jovem do Rio Grande do Sul que participou da III Experiência Missionária, realizada em janeiro de 2018 na cidade de Viamão (RS).

         São suas estas palavras: “O que comoveu e comove o meu coração foi ver quantas pessoas excluídas das necessidades básicas para viver. Faltam alimento, moradia digna, acesso à escola, ao atendimento médico. Em cada visita uma experiência diferente, com crianças, jovens... Os idosos com suas histórias nos ensinaram muito. Fomos mais evangelizados do que evangelizamos. (...). Os dias de missão ajudaram a amadurecer ainda mais a minha fé. Renovei em mim a missionariedade recebida no dia do meu batismo. No encontro com as pessoas, escutando seus sentimentos, alegrias, desafios e esperanças, pude sentir a sede de serem ouvidas, amadas e acolhidas”.

         Todos, sem exceção, somos chamados à missão, mas como lembra o Papa, precisamos dar espaço e confiar mais nos jovens. Eles, com a facilidade que têm para se situar no mundo digital e usar as redes sociais, certamente poderão, de forma mais eficaz cruzar fronteiras, cancelar distâncias e testemunhar com o entusiasmo que lhes é próprio a alegria do Evangelho.

fonte dioceseprocopense.org.br

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!